Quem sou eu.

Minha foto
São Paulo, SP, Brazil
Sou uma Pedagoga apaixonada pelo meu trabalho! Busco, através da minha profissão, tornar a aprendizagem um caminho prazeroso em busca de desenvolvimento e crescimento, moral e intelectual.

quinta-feira, 7 de julho de 2016

Projeto: Meu corpo fala

Turma: BI CD
Professoras idealizadoras: Mirian, Natália, Rebeca e Carla.
Objetivo Geral: Desenvolver aspectos cognitivos, sociais e motores, proporcionando experiências lúdicas que possibilitem aprendizagens significativas através da música.
Objetivo Específico:
·         Ampliar o repertório musical e gestual;
·         Brincar com ritmos diferentes;
·         Acessar a criatividade e a imaginação;
·         Perceber a música como forma de manifestação cultural e folclórica;
·         Enriquecer a memória auditiva, desenvolvendo sua sensibilidade e equilíbrio emocional;
·         Explorar os limites corporais, desenvolvendo a coordenação motora;
·         Ampliar a linguagem e a oralidade, como forma de expressão;
·         Vivenciar momentos de interação e socialização, desenvolvendo a afetividade através da música.

Justificativa:
No processo de reflexão sobre um projeto que contemplasse uma turma de berçário I, com idades entre 4 e 13 meses, percebemos no período de adaptação, que os bebês se acalmavam quando cantávamos, surgiu então a possibilidade de desenvolver um projeto que fosse do interesse da turminha.
Segundo a lei Nº 11.769/2008, que altera a Lei no 9.394, de 20 de dezembro de 1996, Lei de Diretrizes e Bases da Educação, para dispor sobre a obrigatoriedade do ensino da música na educação básica, “A música deverá ser conteúdo obrigatório, mas não exclusivo, do componente curricular de que trata o § 2o deste artigo.” (NR).
Seguindo as diretrizes e bases da nossa educação e respeitando o interesse dos bebês, temos como eixos norteadores deste projeto as interações e a brincadeira através da música.
Conforme as Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil (2010, p.25), as práticas pedagógicas dentro da educação infantil devem favorecer:
a imersão das crianças na diferentes linguagens e o progressivo domínio por elas de vários gêneros e formas de expressão: gestual, verbal, plástica, dramática e musical”; sendo assim, a música pode ser um elo de interação, prazer e aprendizagem para as crianças.
Pensando em contemplar toda a turma com os objetivos propostos, levando em consideração a diferença de faixa etária existente, percebemos que o projeto necessita de ser trabalhados durante os dois semestres do ano, propondo experiências diferenciadas e específicas para a intenção de cada uma delas.
A música está presente em todos os momentos da vida, desde as canções de ninar (que são passadas de geração em geração, mantendo vivo o nosso folclore, nossa cultura), até as diversas músicas que irão fazendo parte da nossa trajetória de vida; assim como ao “balançar uma criança ao som de uma canção pode ajudar no desenvolvimento de sua percepção rítmica” (ILARI, 2003, p.30), nosso projeto prevê experiências que auxiliam no desenvolvimento infantil.
Aproveitar a música na primeira infância, de uma maneira lúdica, é uma grande oportunidade para podermos trabalhar as diversas competências e habilidades para o desenvolvimento integral dos bebês.
“Os pais são geralmente seus primeiros educadores musicais, já que são responsáveis pela criação do ambiente sonoro em casa, bem com por proporcionar a elas experiências musicais diversas” (ILARI, 2013, p.27). Agregar a família ao projeto é primordial para dar o verdadeiro significado ao mesmo, uma vez que um dos grandes responsáveis pela nossa memória musical afetiva é a própria família.
Dessa forma, partindo da relação afetiva que a família já possui com o bebê, nosso projeto se enche de significados, objetivando continuarmos esse processo de ensino/aprendizagem na escola.
Sendo assim, utilizamos a música como instrumento para as diferentes linguagens: corporal, musical, plástica e oral; ajustadas as diferentes experiências com intenções de desenvolver a compreensão de si e do mundo ao seu redor, buscando por meio da música, ampliar sua forma de comunicação e expressão.
Metodologia: A metodologia utilizada durante todo o projeto será de exploração, observação e prática, onde os bebês serão os agentes da construção do próprio conhecimento. Os registros aconteceram através de fotos e filmagens, pois assim realizaremos o produto final que será reunido num DVD em que eles receberão de presente no final do ano; como as letras das músicas contidas num livrinho.
*Todas as fotos e vídeos estarão disponíveis no blog do Cei.*
Conteúdos: Experiências significativas com sons, músicas, brincadeiras e arte.
Cronograma: Duração dois semestres (abril a novembro 2015), sendo realizado duas vezes por semana, alternando entre manhã e tarde.
Produto final: Livros com músicas trabalhadas no projeto e DVD integrado.
Avaliação: A avaliação será contínua, através da observação, participação e interesse dos bebês. No processo de avaliação, analisaremos o desenvolvimento do próprio projeto quanto ao seu progresso em busca dos objetivos propostos. Nossas observações e reflexões serão registradas no semanário. E os momentos de atividades estarão documentados por fotos e vídeos.
“A avaliação significativa se faz no próprio processo, como parte dele, enquanto ele se desenvolve, sem que, para isto, se deva sempre realizar uma parada formal” (GANDIN, 2000, apud UNIP INTERATIVA, p.7).








  













Bibliografia

BRASIL. [Lei Darcy Ribeiro (1996)]. LDB: Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional: lei n° 9.394, art.29 de 20 de dezembro de 1996, que estabelece as diretrizes e bases da educação nacional. – 5° ed. – Brasília: Câmara dos Deputados, Coordenação Edições Câmara, 2010.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação Infantil / Secretaria de Educação Básica. – Brasília: MEC, SEB, 2010.
ILARI, B.Música na infância e na adolescência: um livro para pais, educadores e aficionados. Curitiba: InterSaberes, 2013
MOURA, I. C. Musicalizando crianças: teoria e prática da educação musical (Livro eletrônico). Curitiba:InterSaberes, 2012

UNIP INTERATIVA. Projetos e Práticas de Ação Pedagógica. São Paulo, 2015















quinta-feira, 24 de março de 2016

Percurso de bambolês


O percurso de bambolês é uma experiência para desenvolvimento de lateralidade, noção espacial e coordenação motora.

  • Bebês: ao engatinhar pelo percurso ele precirá transpor os obstáculos para seguir, também poderá apoiar-se para levantar, desenvolvendo assim as habilidades necessárias para andar.
  • Crianças: é uma brincadeira divertida de entrar e sair pelas muitas possibilidades do percurso, precisando agaixar e levantar.
O professor poderá usar sua criatividade criando brincadeiras com objetivos e regras, de acordo com a idade da turminha.

Ping-pong de bexigas


Que divertido é poder brincar de ping-pong com bexigas. Essa experiência pode ser realizada por crianças de diferentes faixas etárias.

  • Bebês e crianças pequenas: as bexigas podem ficar dependuradas como móbiles para serem acertadas com as raquetes. Isso facilita a brincadeira porque as bexigas não sairão do espaço, permitindo que nessa idade os bebês ou crianças pequenas consigam brincar,
  • Crianças maiores: podem brincar com as bexigas soltas e conforme vão batendo a raquete nas bexigas, elas voam, o que estimula a crianças a ir em busca da mesma.
Essa é uma importante atividade para desenvolver a coordenação viso-motora, noção espacial, noção de tempo além de inúmeros outros benefícios. O professor poderá usar a criatividade e adaptar essa brincadeira conforme a idade da turma, determinar regras ou objetivos que tornem a experiência mais enriquecedora.

Mãozinhas sensoriais

 
O mundo pode ser descoberto através das sesnsações. Proporcionar experiências com essas possibilidades de descobertas auxiliam bebês e crianças a descobrir essas sesnsações através do toque das mãos eo auxiliam em seus desenvolvimento.

Teatro: O coelhinho que não era de Páscoa


O coelhinho que não era de Páscoa
Baseado na obra de Ruth Rocha
Adaptação: Carla Duarte

Vivinho: _ Oi! Eu sou Vivinho, sou um coelho muito fofinho, mas agora eu não posso ficar conversando porque tá na hora da escola. Cadê meus irmãos? Irmãos!!!
Irmãos: (chegam correndo) _ Chegamos, chegamos!
Professora: (entra e todos os coelhos se sentam) _ Olá coelhinhos! Boa tarde! Hoje vocês vão aprender coisas que todo coelho precisa saber fazer. Então levantem-se! Um bom coelho precisa saber... pular! Um bom coelho precisa saber... correr! Muito bem, muito bem! Por hoje é só, mas amanhã aprenderemos novas lições, porque um bom coelho também precisa se alimentar muito bem, precisa saber escolher a melhor couve e a melhor cenoura. Até amanhã!
(Todos saem)
Mãe: (entra conversando com o pai) _ Estou tão feliz!!! Nossos filhos já cresceram, aprenderam a ser bons coelhos, estou tão orgulhosa!
Pai: _ Mas agora precisam escolher uma profissão! Será que eles já sabem o que querem ser? Filhos! Venham aqui!
(Filhos entram)
Mãe: _ Estamos muito preocupados, afinal de contas vocês já cresceram... não são mais coelhinhos. Queremos saber se vocês já escolheram o que querem ser... o que querem fazer... com o que vão trabalhar?
Coelho 1: _ Eu vou ser coelho de Páscoa como meu pai.
Coelho 2: _ Eu vou ser coelho de Páscoa, como o meu avô.
Coelho 3: _ Eu vou ser coelho de Páscoa como meu bisavô.
Mãe: _ E você meu filho Vivinho, e você?
Vivinho: _ Bom, eu não sei o que quero ser, mas sei o que não quero... não quero ser coelho de Páscoa.
(Todos se espantam e saem. Vivinho fica sozinho e começa observar seus amigos pássaro, borboleta e abelha).
(Seus irmãos aparecem espiando-o falam e saem).
Coelho 1:  _ Onde é que já se viu coelho brincar com passarinho?
Coelho 2:  _ Onde é que já se viu coelho brincar com borboleta?
Coelho 3:  _ Onde é que já se viu coelho brincar com abelha?
(Entram os pais)
Mãe: _ Um coelho tem que ter uma profissão meu filho!
Pai: _ Onde é que nós vamos parar com essa vadiação?
Vivinho: - Não se preocupem. Estou aprendendo uma ótima profissão.
Pai: _ Só se estiver aprendendo a voar!
Mãe: _ Só se ele está aprendendo a zumbir.
(Vivinho sorri e balança a cabeça em resposta aos pais. Vivinho sai. Os pais permanecem)
Pai: _ A páscoa está chegando, precisamos comprar os ovos para nossos filhos distribuir, vamos!
(Encontram com a vendedora de ovos segurando uma cesta vazia)
Mãe: _Olá senhora, precisamos comprar muitos ovos de páscoa para nossos filhos distribuírem... a páscoa já está chegando, não é mesmo?!
Vendedora: _ Desculpe dona Coelha, mas acabaram todos os ovos da cidade... já vendemos tudo!
Mãe e pai: _Acabaram!?
(Vendedora balança com a cabeça que sim e sai)
Pai: _ O que vamos fazer? Ninguém ganhará ovos de páscoa?
Mãe: _ Ora essa. Isso nunca aconteceu... Não podemos desapontar as crianças... Mas não há mais ovos para vender ... Não tem jeito, não...

(Entram os irmãos tristes)
Coelho 1: _ Nossa primeira distribuição...
Coelho 2: _ Ai que tristeza no coração!...
Vivinho: (entra feliz) _ Por que não fazemos os ovos nós mesmos?
Coelho 3: _ É que nós não sabemos. Coelho de Páscoa sabe distribuir ovos. Não sabe fazer!
Vivinho: _ Pois eu sei!
Pai: _ Será que ele sabe?
Coelho 1: _ Ele disse que sabe!
Mãe: _ Ele sabe, ele sabe!!!
Coelho 2: _ E como você aprendeu?
Vivinho: _ Com meus amigos. Eu não disse que estava aprendendo uma profissão? Pois eu aprendi a tirar o pólen das flores com as borboletas e os pássaros. A abelha é a maior doceira do mundo!!! Ela me ensinou a fazer tudo o que é doce...
Pai: _ Então não podemos perder tempo, vamos logo fazer esses ovos porque a Páscoa está chegando!
(Todos saem)
Professora: _ Na casa da dona Coelha todo mundo está trabalhando... estão fazendo muitos ovos pra toda criançada. Os pais de Vivinho aprenderam uma importante lição. Sabe qual é? Que cada um deve seguir sua vocação, pois se o Vivinho tivesse escolhido ser um coelho da Páscoa igual a seus irmãos... ficariam todos sem ovos... mas como ele seguiu seu coração... salvou a páscoa fazendo ovos deliciosos!!!

(Entram os coelhos e distribuem as lembranças para as crianças)

domingo, 28 de junho de 2015

Dia das mães - sacolinha retornável "Mamãe coruja"

Atualmente estamos vivendo um tempo de muita conscientização com o meio ambiente, então nada mais original que dar de lembrancinha para as mamães uma sacolinha retornável com o toque da criança.

Para a sacolinha a seguir, foram utilizados:

  • sacola de TNT
  • tinta de tecido para carimbar os pés da criança
  • olhos móveis
  • laço
  • caneta permanente para escrita e desenho de detalhes
  • cola gliter para bico e patas
  • EVA para suporte dos olhos






Não ficou uma graça?!

domingo, 5 de abril de 2015

Páscoa no berçário

Diferentes experiências podem ser propostas na semana da páscoa para a turminha do berçário. Apesar de pequenos as atividades lúdicas são divertidas e educativas e os bebês adoram.
Seguem algumas sugestões:

Culinária - Brigadeiro de cenoura

A culinária é uma oportunidade dos bebês colocarem a mão na massa e assim poderem experimentar gosto, textura e vivenciar novas experiências. É claro que se tratando de bebês, não é possível ainda que eles produzam o resultado final como o desejado, sendo assim a culinária é um momento de experimentação. A sugestão é que os professores preparem antecipadamente a receita para que os pequenos possam levar o doce para casa e saborear com a família, carregando junto a receitinha, mas a bagunça e a lambuseira fica por conta deles mesmo... e é uma verdadeira festa!!! 

*Ingredientes:

. 1 lata de leite condensado
. 2 cenouras pequenas/médias cozidas na panela de pressão e passadas no espremedor de batatas para adquirir
textura de purê (aperte esse purê numa peneira para que escorra o máximo da água)
. 1 colher de manteiga
. açúcar para finalizar

*Modo de preparo:

Coloque na panela uma lata de leite condensado, uma colher de manteiga e o purê de cenoura. Misture bem e leve ao fogo médio. Misture sem parar usando uma colher de pau. Quando começar a descolar do fundo da panela, tire do fogo e deixe esfriar. Enrole os docinhos e passe no açúcar.


Cenoura de páscoa

Para guardar o brigadeiro de cenoura pode-se fazer um suporte. No caso abaixo foi feito em EVA e não houve a participação dos bebês, mas também sugiro a utilização de outros materiais como a cartolina, por exemplo, que pode ser pintada pelos pequeninos.
O copinho com o doce foi colocado dentro da cenoura.



´

Brincadeira - Cadê o coelho?

A brincadeira é bem simples: o coelho é apresentado para os bebês e na frente deles é colocado dentro de uma das casinhas. Em seguida o professor pergunta "Cadê o coelho?". O próprio professor levanta a casinha e diz "Achou!". Depois de algumas demonstrações alternando o coelhinho entre as casinhas o professor coloca o coelho em uma delas e não levanta mais, somente fica questionando os bebês "Cadê o coelho?". A reação dos pequeninos é instantânea, com certeza virão ao encontro das casinhas para levantá-las e tentar achar o coelho.

As casinhas foram confeccionadas com caixas de papelão encapadas e decoradas. O coelho foi feito de EVA através de um molde de coelho já postado neste blog. Utilizei um potinho de leite fermentado para sustentar o coelho em pé. Link do molde do coelho: http://123aprendendooutravez.blogspot.com.br/2010/03/blog-post.html


Visita do coelho

A visita do coelho é um momento mágico para os pequenos, pois eles ficam fascinados com o bichinho. Este é o momento para se tratar do cuidado para com o animal, ensinar a acariciar devagar, o silêncio e o ambiente acolhedor. Pode-se aproveitar a oportunidade para falar também da cenourinha que o coelhinho gosta tanto de comer.




Orelhas de coelho

No último dia os pequeninos foram embora com as orelhas de coelho e a maquiagem de coelhinho.


A semana foi ótima!
Feliz Páscoa!!!